Mosher Fest – Antevisão com Tales for the Unspoken

Fundados em 2007 e com uma vertente multi-cultural muito vincada, os Tales for the Unspoken são uma banda de Coimbra com um registo de atuações ao vivo muito rico. Dado que participam no Mosher Fest deste sábado, estivemos à conversa com Marco Fresco, vocalista da banda, e o resultado é o que se poderá ler de seguida…


MOSHER TV – Estão quase a fazer dez anos de existência, com dois álbuns e concertos pelo país, Espanha e Cabo Verde. Como farias um balanço da carreira dos Tales for the Unspoken, até agora?
MARCO FRESCO – Penso que podemos fazer um balanço bastante positivo. Conseguimos gravar dois álbuns, tocar em quase todos os festivais importantes do underground nacional; acho que ainda temos muito para conseguir e é para isso que trabalhamos sempre! Queremos sempre mais!

E o futuro imediato, que planos têm?
Em 2017 vamos continuar a tocar, tentar sair de Portugal também. Temos alguns concertos agendados até ao final desse ano… e vamos certamente compor o novo álbum. Vai ser um ano de muito trabalho – esperamos até ao final do ano ter um grande álbum, pronto para entrar em estúdio com todo o power!

O que achas da cena underground atual? Se tivesses de recomendar três bandas, três álbuns e três festivais (além do Mosher Fest), quais indicarias?
É complicado recomendar três bandas da cena portuguesa. Acho que o nível das bandas cresceu muito nos últimos anos, assim como a nível de condições dos festivais nacionais. Opá… três bandas nacionais, eu diria talvez Burn Damage, que estão a crescer bastante; já tive o prazer de partilhar várias vezes o palco com eles e são malta espetacular. Depois, diria Grimlet, que voltaram depois de uma longa paragem – têm alto som! Por último, ia para o Norte e ia falar dos Sotz. Sinceramente, toquei com eles e fiquei parvo com a performance que estão a apresentar. [Em relação a] álbuns, sinceramente vou dar destaque à malta de Coimbra: “The Empire Strikes Black”, dos Terror Empire, “Bleak Fragments” dos Destroyers of All e por último o “Annihilation” dos Revoltution Within. Estou a ser injusto para muitas bandas, mas o Rui [ND: entrevistador] é que me obrigou a dizer apenas três, de cada. [Em relação a] festivais vou dar destaque ao Hell in Sintra, Santa Maria Summer Fest e ao Vagos Metal Fest!

Tales for the Unspoken - mosher tv - mosher fest

Como têm lidado com as mudanças de elementos ao longo da vossa existência enquanto banda?
Mais uma pergunta complicada… Temos lidado bem; felizmente o ADN da banda nunca mudou. Toda a gente que entrou adaptou-se à realidade dos Tales for the Unspoken e nunca perdemos power ao vivo. Foram transições de membros todas muito rápidas e nunca parámos, o que mostra como isto trabalha. No Mosher Fest vamo-nos apresentar com um line up que pouca gente viu – vou deixar-vos verem por vocês mesmos como estamos, neste momento.

Qual foi, para ti, o pico mais alto da banda, até agora?
Sem dúvida o concerto em Cabo Verde. Poder ir representar Portugal num país onde nenhuma banda europeia de metal alguma vez tinha tocado foi um momento para nunca mais esquecer. Queremos ter mais deste tipo de momentos; é o que faz a banda ter vida. Neste momento, temos mais um momento brutal para desfrutar que é poder tocar no Mosher Fest, um festival que, para mim, é muito importante!

O que esperas deste Mosher Fest? Tens alguma banda que queiras ver, em específico?
Quero muito ver Revolution Within e Dementia 13, mas espero uma casa cheia de malta com o mesmo espírito que eu. Vai ser o festejar do metal nacional e com a presença de um banda internacional de renome! Vai ser certamente uma festa para recordar, como já é habito do Mosher Fest.

Deixa-nos com uma lista de álbums que andes presentemente a ouvir.
Korn – The Serenity of Suffering
Behemoth – The Satanist
Deathspell Omega – Paracletus
Strapping Young Lad – The New Black
Switchtense – Flesh and Bones
Legacy of Cynthia – Danse Macabre


Os Tales for the Unspoken fazem parte do cartaz do Mosher Fest – Chapter IV, que ocorre este sábado em Coimbra. Bilhetes e mais informações em www.mosherfest.com/bilhetes.

Comentários