Mosher Fest – Chapter IV está aí à porta e nos próximos dias iremos fazer a antevisão deste festival com as bandas que participam nesta importante data! Hoje estivemos à conversa com Rui Silva, baterista dos Revolution Within. 

MOSHER TV: Gravaram o último álbum no Golden Jack Studios, em Coimbra. Como foi o processo de composição e gravação?
RUI SILVA: O processo de composição/gravação foi bastante tranquilo; ensaiamos frequentemente para ter as coisas todas prontas para estúdio. Somos cinco pessoas com gostos diferentes, mas lá nos conseguimos entender todos e fazer dez malhas ao gosto de todos! Em relação ao estúdio, não podíamos ter escolhido melhor. O Golden Jack Studios tem todas as condições para fazer grandes trabalhos – o João Dourado é alto mestre.

Como tem sido a reação do público?
Quando vemos movimento do pessoal nos nossos concertos, achamos que a reacção é boa e que o feedback a este novo disto está a ser bastante positivo.

Em 2014 tocaram no Wacken Open Air Fest, como foi essa experiência?
Wacken
foi uma experiência única, um ponto alto das nossas “carreiras” musicais. Tocar à hora de almoço para umas cinco mil pessoas é algo que nunca vamos esquecer.

O que esperas deste Mosher Fest?
Espero o habitual: uma grande festa, recheada daqueles amigos que vês meia dúzia de vezes ao ano. Para mim, este é o cartaz mais forte, com um grande cabeça de cartaz.

Deixa-nos a lista de álbums que andas presentemente a ouvir!
Suicidal Tendencies
– World Gone Mad
Testament – The Gathering
Trash Talk – No Peace
Russian Circles – Guidance
Trap Them – Crown Feral


Reserva o teu bilhete para o Mosher Fest em www.mosherfest.com/bilhetes! Com Dr. Living Dead (Suécia), Corpus Christii, Dementia 13, Revolution Within e Tales for the Unspoken.

Comentários

Divulgamos o melhor que a música extrema tem para oferecer, pela divulgação de trabalhos e eventos, reportagens, entrevistas, etc. LIGHTS - CAMERA - MOSH!