Os Colosso lançaram o seu novo álbum “Obnoxious” a 9 de setembro e já contam com um videoclip para a faixa “A Noxious Reflection”. A MOSHER TV aproveitou a ocasião para fazer algumas perguntas ao realizador do vídeo, Guilherme Henriques Silva.

Qual foi a ideia por trás do videoclip; existe algum conceito adjacente? Conta-nos o processo!
Sim, existe um conceito bastante presente neste vídeo e é talvez dos vídeos que fiz que mais mexe comigo. Depois de ouvir e estudar a lírica por detrás desta música, fiquei desde logo com vários quadros apocalípticos na cabeça. Contudo, e de certa forma, senti também que tudo isto que iriamos fazer teria que ter um forma elemento poético, por isso decidi retroceder à humanidade e apresenta-la nas suas rotinas, afazeres, horários, sentimentos. A cena seguinte com a actriz vem como que um recordar e um voltar às origens daquilo que outrora foi este mundo.

Com isto, o elo de ligaçao entre as cenas é o André [Macedo, vocalista], que acabou por fazê-lo muito bem. Acaba por ser o narrador que assume diversos papéis e discursos através do vídeo. Acho que o que queriamos realmente encontrar com este projecto era o ponto de viragem ou o momento em que tudo acaba e estamos condenados a nós mesmos. Esse momento quis retratá-lo [ao André]  com o homem engravatado ou político com a máscara de gás. Acaba por ter um sentido bastante forte porque é exatamente isso que nos está a acontecer. Somos uma sociedade que elege aqueles que ditam o nosso modo de viver e ao mesmo tempo aqueles que ditam o fim a longo prazo do meio em que vivemos. É um admitir com ironia de que a humanidade não é superior e de que também não é a cura, como podem reparar na lírica do tema.

Onde e quando decorreram as gravações?
Isto foi um processo que se arrastou por alguns meses. A primeira filmagem a ser feita foi com o homem da máscara de gás no Cineteatro de Santa Maria da Feira, casa onde já gravei varias vezes. Todas as cenas de cidade foram gravadas nas ruas de Paris e Madrid, inseridas nas viagens que fiz dentro de outros projectos. Foi um aproveitar de algum tempo morto pela cidade e relembrar Colosso.

E creio que por isto é que me orgulho bastante deste projecto e não deixo de achar interessante todo o seu processo porque foi feito ao longo de vários meses, sob moldes diferentes, sob episódios diferentes da minha vida profissional e acredito que isso mesmo acaba por se libertar na obra final. Com o André filmámos no antigo Tribunal de Santa Maria da Feira. O sítio perfeito para o que pretendiamos, portanto!

O que queriamos realmente encontrar com este projecto era o ponto de viragem ou o momento em que tudo acaba e estamos condenados a nós mesmos.

Como foi trabalhar com os Colosso?
Trabalhar com Colosso foi bastante positivo para mim. Nunca tivemos nenhuma reunião pessoal, apesar de não morarmos longe uns dos outros. Foi tudo por grupos e janelas de chat do facebook e resultou bastante bem na mesma. Deram-me toda a liberdade para mostrar a minha visão da música, mas ao mesmo tempo também se interessaram sobre o que pensava fazer; deram ideias, enfim. Foi um projecto conjunto e isso é o mais importante para mim.

Qual é o teu próximo desafio, podes desvendar?
Bem, neste momento estou a fechar a mala do drone para ir filmar com os Helheim aqui na Noruega! (risos)


Páginas de Facebook:
Colosso
Guilherme Henriques Silva

Comentários

Divulgamos o melhor que a música extrema tem para oferecer, pela divulgação de trabalhos e eventos, reportagens, entrevistas, etc. LIGHTS - CAMERA - MOSH!